Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Em paz

tumblr_ln2inuiXn61qktps5o1_500.jpgÉ incrivel como existe sempre alguém que têm uma opinião sobre tudo!
Que acredita que a sua opinião é mais válida que a do outro.
Que é detentora de uma verdade sobre algo que ela apenas conhece parcialmente.
Que é capaz de julgar e criticar o outro porque simplesmente pensa e sente de forma diferente.

Mas a verdade, é que hoje mais do que ontem, eu decidi que nada disso me tira a paz que sinto.

 

 

Aproxima-te e escuta...

Em vários momentos da nossa existência, somos invadidos pelo desalento,
pela frustração e até por uma dor que nos dilacera o ser.
E apesar de existir em nós uma vontade de partilhar o que sentimos.
Mas escolhemos demasiadas vezes não o fazer.
Porquê?
Porque não queremos que os outros se sintam sub-carregados ou com a obrigação de nos ouvirem.
Porque não queremos mostrar ao mundo a nossa fraqueza naquele momento.
Ou que possam nutrir um sentimento de pena.
Não queremos nem desejamos que nos digam o que fazer ou dizer.
Não!
No fundo, apenas ambicionamos que nos oiçam. Sem julgamentos. Sem dedos acusadores.
Que apenas nos escute e nos deixem escolher.
Pois nós já sabemos que é apenas um dia ou um momento mau.
Mas passa!
Afinal tudo passa!

Há uma linha que separa...

É uma linha ténue aquela que separa a razão da emoção,
a loucura da paixão,
a verdade da mentira,
o medo do amor,
o poder e o dever.
É ténue a linha do altruísmo e do egoísmo,
e quase imperceptível a linha que separa a inveja e a amizade.
Porque a critica é sempre mais fácil do que o reconhecimento.
Porque o julgamento é sempre mais rápido do que a tolerância.
Porque o parecer é sempre mais aliciante do que o ser.

Fecha a porta!

Demasiadas vezes alteramos os factos porque nos dão jeito.
Demasiadas vezes contamos as coisas que nos interessam.
Demasiadas vezes partilhamos o trecho de vida que nos faz ter sempre razão.
Demasiadas vezes só importa aquela fracção de segundos para que o nosso ego fique cheio de uma razão vazia.
E a história repete-se vezes e vezes sem conta!
Sabemos que não somos donos de uma razão totalizante, mas queremos ser donos de uma razão momentânea, seja lá o que isso representa, porque sabemos que existem sempre dois lados da história, porque percebemos e sabemos que as coisas são de outra maneira, mas é preciso mudar o sentido do jogo a nosso favor!
E às vezes a qualquer custo!
Não nos importa a injúria que podemos provocar no outro.
Não nos apoquenta o falso julgamento.
Não nos retira o sono a mentira que se cria e que se acredita ser verdade!
Não nos perturba o nosso egoísmo na alteração dos factos.
Não!
O nosso ego faz-nos acreditar piamente que somos sempre a parte prejudicada, que o outro não fez, não disse, não pensou um único momento em nós. Que a nossa parte da história é que é a mais certa, a mais fiel e aquela que mais importa no meio disto tudo.
Nada mais errado!
É só e apenas o nosso olhar sobre toda a situação.
Por isso não nos enganemos, nem tenhamos a mínima ilusão nem tão pouco criemos a expectativa que a mentira vai triunfar.
Porque a verdade tarda mas não falha! E quando chegar…
Será revelada toda a história, todos os factos, todos os trechos. E nada será igual...
E ai será tarde porque o outro já apagou a luz e fechou a porta!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Julho 2021

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Em destaque no SAPO Blogs
pub