Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

É estranho...

Porquê?

Não eram sorrisos verdadeiros aqueles que partilhávamos?
Não eram olhares cúmplices aqueles que trocávamos?
Não eram palavras sentidas aquelas que dizíamos?
Não eram momentos especiais aqueles que vivemos?
Não eram sonhos tangíveis os que projectamos?

Acreditei que sim…

Simples!

Não te busco no barulho das luzes,
mas no silêncio da escuridão.

Não te procuro na correria das horas,
mas no descanso dos minutos.

Não te idealizo nos dias felizes,
mas no vazio dos dias tristes.

Não te prendo às palavras,
mas nos gestos de carinho.

Se gostar é tão simples,
para quê complicar?

Fecha a porta!

Demasiadas vezes alteramos os factos porque nos dão jeito.
Demasiadas vezes contamos as coisas que nos interessam.
Demasiadas vezes partilhamos o trecho de vida que nos faz ter sempre razão.
Demasiadas vezes só importa aquela fracção de segundos para que o nosso ego fique cheio de uma razão vazia.
E a história repete-se vezes e vezes sem conta!
Sabemos que não somos donos de uma razão totalizante, mas queremos ser donos de uma razão momentânea, seja lá o que isso representa, porque sabemos que existem sempre dois lados da história, porque percebemos e sabemos que as coisas são de outra maneira, mas é preciso mudar o sentido do jogo a nosso favor!
E às vezes a qualquer custo!
Não nos importa a injúria que podemos provocar no outro.
Não nos apoquenta o falso julgamento.
Não nos retira o sono a mentira que se cria e que se acredita ser verdade!
Não nos perturba o nosso egoísmo na alteração dos factos.
Não!
O nosso ego faz-nos acreditar piamente que somos sempre a parte prejudicada, que o outro não fez, não disse, não pensou um único momento em nós. Que a nossa parte da história é que é a mais certa, a mais fiel e aquela que mais importa no meio disto tudo.
Nada mais errado!
É só e apenas o nosso olhar sobre toda a situação.
Por isso não nos enganemos, nem tenhamos a mínima ilusão nem tão pouco criemos a expectativa que a mentira vai triunfar.
Porque a verdade tarda mas não falha! E quando chegar…
Será revelada toda a história, todos os factos, todos os trechos. E nada será igual...
E ai será tarde porque o outro já apagou a luz e fechou a porta!

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Setembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930
Em destaque no SAPO Blogs
pub