Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Leva-as o vento

Porque ousámos dizer “faz o que eu te digo, não o que eu faço”.
Será que somos duas pessoas diferentes e autónomas?
Será que não devia existir coerência entre palavras e gestos?
Será que dizemos isto, mais do que um conselho aos outros, como sendo uma forma de nos desculparmos e dessa forma nos desresponsabilizarmos?

Quando na verdade, aquilo que nos marca, nos converte, são os gestos, as atitudes, as acções. Porque as palavras... Essas leva-as o vento!

Um abraço

Heróis anónimos



Tempos houve em que o Homem sabia e conhecia, o nome e o rosto do seu herói.
Gente que perante situações de risco, de medo, não se acobardava. E as suas vitórias e feitos, corriam de boca em boca, espalhando a sua coragem e bravura.
Nos locais onde essas histórias eram contadas, existia sempre alguém que se imaginava no seu lugar. Eram admirados!
E hoje?
Não existem pessoas assim?
Não existe gente capaz de nos fascinar?

Quando um pai abdica de si, das suas coisas, em prol do seu filho ou quando um elemento do casal abdica ou proporciona algo ao outro, será que não existe nada de heróico nesses momentos?

Creio profundamente que sim.

A diferença é que hoje, esses gestos não nos surpreendem, não nos fazem “vibrar”. Porque passamos a vê-las como uma obrigação/compromisso, como uma consequência do que se sente.
Mas não é.
É mais do que isso. É dedicação, é uma entrega total.

Porque estes “heróis anónimos”, sabem e sentem, que:

«Existe mais felicidade em dar do que em receber...»

Um abraço

Um pequeno detalhe...

A vida humana é feita de imensas etapas; de inúmeras experiências; de variados momentos; de indefiniveis sensações; de um sem número de casos; de uma porção indeterminável de pessoas.
Mas o mais estrondoso, é perceber que todas as situações à pouco indicadas, nenhuma delas acontece da mesma forma a nenhum de nós.
Podem ser parecidas... Podem!
Mas se as analisarmos, veremos que são os seus detalhes, que as tornam tão distintas.

Não é a grandeza ou a intensidade (até porque não existe nenhuma máquina capaz de os medir) do Amor, que nos marca. São os detalhes da vivência deste sentimento, que nos faz sentir amados, desejados e tantas vezes especiais.
Não é a quantidade de tempo “gasto” com uma pessoa, que a torna mais ou menos nossa amiga. É antes, um abraço cúmplice; a honestidade em determinados momentos; a partilha sincera; que nos faz confiar e sentir que é nosso(a) amigo(a).

Então, questiono-me:
“Se um pequeno detalhe, faz tanta diferença. Porque teimamos em ver só os grandes?”

Um abraço

Que estranho Mundo é este em que vivemos...

Nos últimos tempos, tenho pensado um pouco sobre o assunto deste post. Aos poucos tenho vindo a perceber que esta Humanidade, apesar de cada vez mais evoluída, a nível de conhecimentos, de possuir mais e melhor tecnologia, etc; Também esta tem vindo a deixar cair no esquecimento alguns valores. Valores estes que já foram considerados fundamentais. Fazemos parte de uma sociedade que busca incessantemente vestígios de vida noutros planetas, mas cada dia que passa aniquila a Vida existente neste planeta.
Deixámos de nos preocupar.
Desinteressámo-nos pela Humanidade.
Que impacto tem nas nossas vidas, o número de crianças vítimas das maiores privações que ocorrem em África? Só porque existe alguém que tem uma ambição desmedida, um egoísmo elitista. Quem se importa?
O que interessa a quantidade de árvores abatidas diariamente no Amazonas? A quem?
O que importa os inúmeros animais protegidos que são caçados apenas por desporto?
Muitos dirão que isso é um problema que as organizações e os países terão que resolver.
E este é o problema central.
Porque em nós ecoam frases como:
“Não me interessa, eles que se entendam.”;
“Não quero saber, não posso fazer nada.”;
“Não depende de mim...”;

“Não está nas minhas mãos...”
Etc.
São estes pensamentos e formas de estar na vida, que aos poucos e poucos vão mudando os padrões comportamentais do indivíduo, transformando a sociedade e alterando o Mundo.
Sem perceber, estamos simplesmente a riscar do nosso dicionário, palavras como: Amizade; Amor; Compaixão; Solidariedade; Partilha; Cumplicidade; etc.
Mas não pode ser.
É urgente, voltar a olhar o Mundo como se fosse a primeira vez; é preciso, voltar a apaixonarmo-nos pela Humanidade, da qual fazemos parte.
É necessário que o valor da vida seja o centro das nossas decisões e atitudes.

Um abraço

Hoje apenas isto me basta...



“Amar é a partida,
De um sonho sem chegada.
Voar nas asas do vento
E subir ao infinito;
Não há fronteiras que separem,
Nossa amizade é sermos um só!

Só o Amor,
Faz renascer,
A vida em nós...”
Um abraço

Só para esclarecer...

...Que não preciso de estar rodeado de gente sem escrúpulos; gente que pela frente diz uma coisa e por trás diz outra; de gente que parece viver num “pedestal”, como se fossem perfeitos e a afinal não valem nada.
...De pessoas com má formação; sem qualquer tipo de valor; que pensam apenas e só no que podem receber; que apenas se preocupam com os bens materiais ou com aquilo que parece bem. ...De gente invejosa; mesquinha; cobarde; mentirosa; interesseira; etc.

A sério que não preciso! Aliás, nem eu nem ninguém!

Apenas eu...


Eu sou...
Um conjunto de opções certas e erradas.
Onde cada segundo é uma marca da pessoa que me tornei.
Eu sou o reflexo do passado e o projecto do futuro.
Onde os sonhos se misturam com as desilusões.
Onde os meus medos são fraqueza e força ao mesmo tempo.

Porque hoje eu sou...
O reflexo do caminho que percorri.
Onde fui o Norte e o Sul,
O Este e o Oeste.
Onde o sorriso e as lágrimas foram presenças habituais.
Numa vida que teve momentos tão marcantes e outros tão vazios.
É neste ser que sou que junta o sagrado e profano.
Porque o homem que me tornei congrega em si o bom e o mau;
A razão e a loucura;A presença e a ausência;
A alegria e a tristeza;

Porque hoje eu sou...
A imagem daquele que acreditou e que acredita.
Daquele que lutou e que luta.
Sou aquele que caindo, se ergueu;
Aquele que no meio do turbilhão de sentimentos, encontrou a sua paz;
Que procura dar-se por completo naquilo que realiza.
Que apesar de tudo, sabe e sente,
"Que o caminho faz-se caminhando!"

Eu sou tudo isto!

Só para ti...


Esta noite,
não preciso de palavras,
não preciso de gestos.
Esta noite,
Basta sentir-te perto de mim;
Sentir o teu ser em mim.
Onde a tua respiração é a minha respiração.
E onde os teus braços me envolvem num tempo infinito.
Esta noite,
Procuro esta paz que brota deste porto de abrigo.
Procuro esta tranquilidade que me embala.
Procuro este pedacinho de céu que partilho contigo.
Esta noite,
Não tenho tempo;
Não tenho medo;
Não tenho dúvida;
Esta noite,
o teu ser brilha em mim,
Como a luz de um farol.
Esta noite,
Deixa-me voar nos teus braços
E voltar para te segredar...
“no teu colo eu me entrego pra que me nutras e me envolvas”
E pedir-te,
“deixa-me ser só ser...”
Porque isso me basta...


Uma braçada amiga

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Agosto 2009

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031