Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Preciso-te...


Preciso tanto, preciso mesmo muito! Preciso de tempo.
Tempo para esquecer o que ainda lembro, arrumar o que já esqueci, destruir o que já não há, construir o que ainda pode vir a ser!
Mas preciso mesmo, mesmo muito, preciso de tempo!
Preciso de tempo para sorrir, sem compromisso, sem perconceito ou juizo...
Preciso de tempo para pensar, para crescer, para ler, para escrever e para fazer mais mil coisas que tenho de fazer e que vou adiando cada dia um bocadinho porque não chego para tudo, porque não dou conta de tudo!
Preciso de tempo para viver! Viver na plenitude a infância que sinto em cada momento partilhado com o meu filho.
Queria poder parar o tempo para ganhá-lo, sorrindo...
Queria tempo para ir e para ficar, para ousar e para sonhar, queria ter tempo para ser...

Preciso de um tempo de mim!
Preciso de um tempo.
Enfim...
Preciso mesmo!

Uma braçada amiga

Vendo comando...

Agora a sério…

… não me venham cá falar dos mais de 120 canais…
… não me tentem impingir a ideia que fibra óptica está a nascer por todo lado…
… não me façam pensar que só custam meros € 50…
… não, não quero saber disso. Só quero apenas UM canal para combater a miséria de programas como: «Você na TV»; «Rebelde way»; «O mundo de Paty»; etc…

Se alguém souber desse canal, avisem, porque até lá, o comando não é meo!

Uma braçada amiga

Palavras que marcam...

“ Ser simples é difícil. A tentação universal para complicar as coisas, aliás, tem-se revelado desastrosa ao longo dos séculos e muito daquilo que poderia ter sido sempre tão simples vai tomando proporções caóticas.
Falo da maneira como as pessoas comunicam, por exemplo. Como dizem umas às outras aquilo que pensam e sentem. Ou melhor, como dizem uma coisa e tantas vezes sentem outra. E como tido isto pode ser tão perverso e enganador.
Ser simples é muito mais do que não ser complicado. É ser verdadeiro, é prestar atenção, é ouvir com o coração e é falar sem pretender ter sempre razão. Só uma pessoa simples é capaz de estar na vida para os outros e pelos outros e consegue fazê-lo sem se perder no essencial.”

Laurinda Alves
Uma braçada amiga
p.s. - estas palavras são mágicas...

Preso a ti...


Sento-me onde tudo faz sentido,
E descanso onde nada está perdido.

Porque te sinto em mim,
Mais do que podia ou devia.

E levo-te para onde queria,
Sem perceber que era a saudade que vinha.

E é carregando-te cá dentro,
Que o meu tempo fica preenchido.

Porque a dureza da certeza do amanhã,
É o que me faz viver ou sobreviver tantas vezes.

Porque não duvido do que senti,
Porque aceito o que sinto.

Mesmo que tantas vezes fique o vazio,
Deste sentimento por ti.

E é neste pensamento que me foge,
Que eu me encontro preso e suspenso a ti.

Uma braçada amiga

“Desculpas”...


Podia ser um pedido público, mas não é.
É antes, a forma como este gesto é utilizado, como se tornou tão banal, tão benevolente, tão pouco inquietante.
Porque é uma palavra que perdeu força; porque é um gesto que se tornou leviano. Porque se olha e se pensa que é uma simples borracha, que elimina e corrige um risco ou elimina uma palavra.
Mas um pedido de desculpa não é uma borracha.
É antes um exigente exercício interior...
É um gesto nobre, porque o gesto de pedir desculpa, não apaga palavras ou não elimina gestos, ela é, em primeira instância, o reconhecimento de um erro mais grave ou não...
Pedir desculpa, não pode ou melhor não deve ser uma coisa banal. Porque ela exige de nós, este compromisso sincero, honesto e humilde de não querer voltar a cometer o mesmo erro.
Por isso, pedir desculpa não nos pode deixar do mesmo jeito, com o mesmo o pensamento, com a mesma consciência.
Pedir desculpas não pode ser visto como a escapatória em caso de deslize...
Porque não o é!

Uma braçada amiga

Só hoje...

tumblr_l547a231fa1qczgi2o1_500.jpg

 

Hoje queria um daqueles abraços...
... que abarcam todo o nosso ser e o nosso mundo;
... que preenchem o nosso coração e a nossa alma;
... que nos sustentam na fraqueza e nos libertam quando somos forte;
... que carregam em si a sinceridade e a fraternidade;
... que nos prendem para um sempre e nos soltam para um agora.
 
Hoje...
... queria apenas um simples abraço.



Uma braçada amiga

 

Pequenas conclusões #5



A cumplicidade, não é a invasão do nosso espaço, nem tão pouco saber tudo sobre nós. A cumplicidade é a partilha de momentos, com os quais construiremos a nossa história.

Uma braçada amiga

Pequenas conclusões #4

Escolher não é um momento fácil.
Escolher implica optar; excluir;
E tantas vezes essa opção não tem volta a dar...

É um sentido único, em que recuar é impossível e onde escolher pode ser tantas vezes, perder... Olhar para trás e desejar o início da bifurcação é criar uma desmotivação e uma desconcentração que não nos conduz a lado nenhum. Neste caso, devemos é olhar em frente, erguer a cabeça, encher o peito e aceitar aquilo que a vida tem para nos “oferecer”, seja bom ou mau.

Porque a escolha certa não existe. Existe sim, é uma vontade inabalável de percorrer o caminho da opção que tomamos.

Uma braçada amiga

Pequenas conclusões #3


Confesso que me assusta, quando oiço alguém dizer “faz o que eu digo, não faças o que eu faço…” Porque isto só me leva a dois pensamentos…
- Ou é incoerente (porque diz uma coisa e os seus gestos são o contrário, e isto, deve-lhe criar uma frustração e um vazio terrível);

- Ou é burro (porque não sabe que aquilo que marca uma pessoa não são as palavras mas os gestos. Porque a palavra desprovida de acção é morta);

Então, o que devíamos dizer é “ que o teu gesto seja igual à tua palavra… ou vice-versa
Uma braçada amiga

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Junho 2009

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930