Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Não sei explicar…


…nem tão pouco compreender.
Mas tem crescido dentro de mim uma vontade de mudar o exterior.
E não se trata de cansaço de imagem ou uma simples questão de moda ou até mesmo uma pequena loucura.
Não, nada disso!
É um apelo crescente a uma mudança que está ocorrer dentro de mim e que não sei identificar.
E então ecoa dentro de mim uma pergunta…
“ o que mudou interiormente?”
E quando passa o eco, ouve-se um vazio.
E é o vazio que me prende e me provoca a não mudar.
Porque todas as minhas mudanças exteriores em mim, tiveram uma mudança interior.
E esta não será diferente…
Posso não a ver, mas sinto-a;
O que será?
Uma braçada amiga

Palavras soltas


Os dias sucedem-se.
As horas voam.
Os minutos perdem-se.
As cores destoam.

O que trocamos.
Não te traz na ausência.
E o quanto nos damos.
Muda a nossa aparência.

As saudades são momentos.
Que duram sempre mais.
As presenças são segundos.
Que não chegam jamais.

O sorriso que esboças.
Esconde sempre coisa alguma.
Que eu tento descobrir.
Sem obter coisa nenhuma.

E é neste sentimento.
Que me insistes em prender.
Sem que saibas que nele.
Eu nunca me vou perder.

E por isto, não me tentes.
Nunca compreender.
Porque o que vês, eu não sou.
O que sou tu não vais ver.

Uma braçada amiga

Escolher...

Acredito que em algum momento da nossa existência, já nos deparamos com situações em que temos que escolher. Porém, não é algo que se faça com muita facilidade, excepto se for algo relativamente insignificante para nós, pois caso contrário, é muito complicado. Ter que pensar se a decisão A é a melhor que a decisão B;

Perceber que qualquer decisão que possamos tomar, carrega sempre consigo em igual dose, a dúvida, a frustração, a dor, mas também a felicidade, a alegria, a responsabilidade, o crescimento individual.Escolher é de certa forma um processo de rotura e de crescimento individual. É querer ser melhor, não a qualquer preço, nem de qualquer forma. É querer alcançar sempre a FELICIDADE plena.

Porém recordo uma frase tantas vezes dita, mas talvez tão pouco reflectida... "prometeram-nos a Felicidade não a facilidade..."

Desta forma, quando tiveres de escolher, não busques o mais fácil, mas aquilo que te dará mais alegria, que te fará ser melhor do que és neste momento. Os ambientes onde estás, não serão melhores se tu não buscares o melhor para ti, não serão mais felizes e mais fecundes se tu não procurares isso nas tuas escolhas, nas tuas decisões.

Não te preocupes com aquilo que os outros dirão, porque talvez hoje te critiquem, mas um dia... Talvez te digam... «Obrigado, porque hoje eu percebo, porque fizeste isso...»

Escolhe, em escrever a história da tua vida com páginas felizes, mas recorda-te que não será fácil... Mas não desistas, porque "prometeram-nos a Felicidade não a facilidade..."

Uma braçada amiga

Não basta...


Não basta sonhar, é preciso viver...
Não basta falar, é preciso agir...
Não basta andar, é preciso percorrer...
Não basta observar, é preciso intervir...

Não basta querer ser cúmplice, é preciso senti-lo...
Não basta ser amado, é preciso amar...
Não basta que ser feliz, é preciso sê-lo...
Não basta pensar, é preciso concretizar...

Não basta...

Uma braçada amiga
p.s. decidi voltar a publicar este texto que escrevi em 2007 porque acho que continua actual!

Compreendo...



Compreendo que 'Deus quer, o Homem sonha e a obra nasce' pode nem sempre funcionar com toda a gente...
Compreendo o que significa estar sozinho no meio de muita gente...
Compreendo o que é sonhar acordado e, hoje, sei o que são sonhos impossíveis...

Compreendo que nem sempre tenho coragem de falar sobre isto com os outros, porque não quero incomodar, porque não compreenderiam o silêncio e a dor que me aperta o peito...

Compreendo que estou a viver um sentimento que já julgava não ter, por uma pessoa que julgava morta em mim e que afinal está mais viva do que antes...

Compreendo que disponibilidade não significa saudade e que sentimentos são coisas que se dão mas que não se recebem...

Compreendo que amor é desporto, amar é utopia e amando sou patético...

Compreendo que amar os outros não implica que os outros nos amem da mesma forma...

Compreendo que entrega é jogo e que às vezes é preciso sair com dignidade de campo...

Compreendo o que é querer estar e não me deixarem estar...

Compreendo que perder não significa não ter ou desistir...

Compreendo o que é a vontade de fugir para longe daqui e saber que ninguém mais me espera...

Compreendo hoje o que é o desespero que não consigo mais suportar neste corpo fraco demais...

Só não compreendo o que quer Deus de mim...


Uma braçada amiga

Solitáte

É dificil de explicar, dificil traduzir, mas fácil de sentir isto da saudade.
Talvez até seja aquilo que nem eu nem tu pensamos ser…

É estranho este sentimento com caracteristícas de vapor suave, que evapora no toque e se vislumbra na distância. Dizem que a sentir nos entristece.

E é, mas… porquê? Porque nos traz recordações das boas coisas que outrora vivemos? Dos simples risos, choros, abraços e beijos que nos tocaram pela serenidade daqueles que nos a trouxeram? Porque nos soube bem…

Se é assim, então que eu sinta saudade. Que a sinta hoje pela tua não presença, que te saiba longe e que esta minha vontade se revolte por não te abraçar! Que me custe e me doa, que me amarre às lágrimas se necessário. E que esse pesado vácuo seja tão carregado, que me caía em cima como que uma bola arremaçada na minha direcção, e me rasgue de dor até sentir-me partido em sete.

Pois quanto maior a saudade por ti, mais perto da perfeição estaremos. Maior o bem que me fizestes e aquele que o futuro nos trará. Maior a leveza quando a tua presença sentir, e perceber que o que custa vale a pena.

Chama-me louco. Matar essa saudade será então perfeito.


in Ess'agora


Uma braçada amiga

Por entre linhas...

Quisera ser conquistador de um mundo que não sabia existir.
Ambicionará amar eternamente um ser que não conhecia.
Desejará abraçar perdidamente um sentimento que não tinha noção.
Cobiçará segurar loucamente um momento que não sabia distinguir.
Intencionei conter dispersamente um tempo que não sabia perceber.
Tolerei saber intrinsecamente um significado de palavras que não sabia ler.
E em tudo isto compreendi que estava contido a beleza e a força de um ser…
O meu Ser!
Uma braçada amiga

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Maio 2009

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31