Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Sabor do nada...


Existem em nós esta sede inexplicável, de quer o impossível e não nos bastar o possível. É como se toda a nossa vida não fosse suficientemente preenchida por este aceitável e de um momento para o outro ambicionamos mais, de uma forma desmedida, diria mesmo descontrolada...
E então tudo ao nosso redor deixa de ter importância para nós...
Se temos alguém que nos ame...
Esse amor não é suficiente para nós... Porque nós queremos mais, muito mais... E nesse momento, todas as juras, todos os sonhos, todas as alegrias, todas as conquistas, todas as partilhas, são insuficiente para nós. Inclusive a pessoa que viveu todos esses momentos connosco... Passou a ser descartável.
Se temos uma casa...
Ela deixou de ser suficientemente grande e espectacular para nós... Queremos uma com áreas maiores, com cozinhas equipadas, com vista para o mar, com piscina... E então cresce em nós este desejo de mudar... E não olhamos a meios para atingir o fim pretendido.
Se temos carros...
Se temos telemóveis...
Etc.
E a nossa vida passou a ser esta constante sobrevivência em busca dos bens materiais e dos impossíveis...
E não nos apercebemos que deixamos de viver para passarmos a sobreviver.
Foi como se tivéssemos uma mão cheia de areia e de repente começamos apertar para os possuir todos e eles começam a fugirmos por entre os dedos...
E no final de tudo, apenas uma pergunta...

Para quê?

Se aquilo que nos faz verdadeiramente feliz, não está no que possuimos...

Para quê?

Se ficámos com este gostinho na boca... a nada!

Uma braçada amiga

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Junho 2008

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930