Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Porque escolher é excluir...


O que te faz mudar?
São as pessoas ou são os tempos?

O que te faz ficar?
Os momentos ou as atitudes?

O que te prende?
Um abraço ou um olhar?

O que te reconforta?
Um amigo ou uma palavra?

O que é eterno?
O sentimento ou a razão?

O que te inquieta?
A certeza ou a dúvida?

O que te fascina?
A dificuldade ou o facilitarismo?

O que te impulsiona?
A vontade ou o medo?

O que te marca?
A vivência ou a partilha?

O que te alegra?
A serenidade ou fogosidade?

Uma braçada amiga

(Re)encontro

Existem dias em que sentimos a necessidade de dar uma volta à nossa vida. Em que é preciso (re) descobrir o caminho que traçamos, que definimos para nós. E hoje, sinto que é esse o dia, que é este o momento…
É chegada a hora de (re) começar a caminhada.
É chegado o momento…
Embora saiba que cada (re) começo é sempre muito duro, porém também sei que estive demasiado tempo parado à espera…
E a vida passou por mim nestes meses e eu não fiz nada!
Mas não quero isso, quero ser eu a passar pela vida, quero ser eu a marcar o tempo de cada momento, de cada experiência.
Quero voltar a pisar forte na vida!
Porque hoje, sei e sinto, qual o caminho a percorrer.
Se é duro?
Se é doloroso?
Se estou preparado?
O que importa isso, quando dentro de nós existe a vontade de voltar a caminhar, de nos voltarmos a (re) encontrar connosco e com a nosso projecto pessoal…
E desde que sejamos honestos e fieis a nós próprios e às nossas convicções...
Então nada importa, a não ser a marca que queremos deixar, ou o perfume que queremos espalhar.

Uma braçada amiga

"O medo faz-nos sós..."


Tento...

tento fugir de ti...
tento esconder-me...
tento abafar as palavras...
tento restringir os gestos...
tento...

Mas não consigo.
Porque basta olhar para o lado
e sinto a tua presença.
Porque basta olhar para o meu ser e vejo o teu...
Porque basta ouvir o eco da minha voz,
para perceber que nela está a tua!

Bem que tento...
Mas existe algo dentro de mim que me agarra;
que me prende a ti, a este momento...
É como se de repente a vida me voltasse a dar,
a possibilidade de sorrir...
Me quisesse oferecer tudo aquilo que procurei,
tudo aquilo que sempre sonhei...
Mas que com o passar dos tempos,
se foi calando dentro de mim...

E hoje?

Hoje, tenho medo...
Medo de aceitar...
Medo de arriscar...
Medo de sonhar...


Uma braçada amiga

Pedaços de nada...

Não basta...

... esquecer um sorriso
... eliminar um gesto
... calar um sentimento
... apagar uma história

Não basta...

... querer isolar-se do mundo
... querer (re)começar
... querer esquecer tudo e todos
... querer ser quem não somos

Não basta...

Porque a historia da nossa vida
é feito desses momentos.
E querer arrancar essas páginas,
é sinal que aquele episódio
não pode existir nela...

Mas a verdade, é que por mais mudanças que façamos,
por mais cabeçadas que possamos dar...
Na nossa vida iram sempre existir aqueles momentos...

Uma braçada amiga

Coisas simples...

Existe quem me encante...
apenas com um sorriso.
Existe quem me prenda...
apenas com uma palavra.
Existe quem me seduza...
apenas com um gesto.
Existe quem me detenha...
apenas com um olhar.
Existe quem me conquiste...
apenas com um toque.
Existe quem me compreenda...
apenas com um silencio.
Existe quem me apoie...
apenas com a sua presença.
Existe quem me acorde...
apenas com um beijo.
Existem quem me roube...
apenas com delicadeza.


Uma braçada amiga!

Perguntar não ofende...


Se hoje te perguntassem qual o maior dos sentimentos, qual seria a tua resposta?

O amor?

A fé?

A coragem?

A confiança?

A amizade?

Para mim, é a confiança.
Porque é nela que se sustenta tudo o que nos rodeia...
As relações humanas...
A sociedade...
O mundo...

Sem confiança, não existe amor.
Sem confiança, não existe partilha, não existe amizade...
Sem confiança não existe nada! (para mim)

E para ti?

Uma braçada amiga

Apenas um EU!



Apenas existe este eu...
Que ninguém vê...
E que vagueia pelo Mundo...

Um eu...
Onde a dor vive,
Onde a tristeza habita,
Onde o vazio preenche,
E o nada sustenta tudo!

Um eu...
Que existe sem perceber,
O porquê,
E o para quê.

Um eu...
Que se arrasta de dia,
E se esconde de noite.

Um eu...
Que percorre um mundo,
Sem sentido,
Sem sonhos,
Sem nada.

Um eu...
Que não se reconhece,
Que não se importa,
Que não acredita.
Mas que se dá!

Um eu...
Que sou eu e és tu.


Uma braçada amiga

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Maio 2008

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031