Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Gritos mudos...

São gestos...
São palavras...
São atitudes...
São momentos...
São recordações...
São cheiros...
São olhares...
São beijos...
São abraços...
São sorrisos...
São sonhos...
São lágrimas...
São alegrias...
São tristezas...
São locais...
São musicas...
São fotos...
São coisas que nunca se esquecem...

Uma braçada amiga

Dados viciados...


São dados viciados
estes que atiras para cima da mesa...
São pedestais fragéis
estes onde te colocas...
São passos maiores
do que aqueles que tu podes dar...
São decisões erradas
aquelas que acumulas como se fossem medalhas...
São falsos amigos
aqueles que te rodeiam e se aproveitam...
São desilusões constantes
aquelas que provocas...
São perguntas
que te fazem e que não obtens resposta...
São caminhos estranhos
os que tu nos indicas...
São propostas vazias
aquelas que nos apresentas...
São palavras
sem significado estas que nos dizes...
São gestos
sem verdade estes que fazes...
Uma braçada amiga

Existe uma certa mágia...



Confesso que existe uma certa mágia,
quando alguém a falar ao telemóvel diz com aquele ar de apaixonada:

"Amor, sentes que estou a fumar?!?! Sentes?!?!"

Eu acho isto muito profundo, quase que arriscava a dizer que isto é... RIDICULO!
(Nem quero imaginar a resposta que o outro deu...)


OU


Também confesso, que existe uma certa mágia,
quando uma pessoa anda agasalhada porque está frio e de repente se ve uma rapariga de bermudas brancas e de socas...
É...
Algo muito especial...
Mágico!
Uma braçada amiga

"tudo é tão maior aqui..."


Saudade
é este sentimento,
que se aloja no peito.
Que nos
preenche a cabeça
e nos invade o coração.
Que é
Capaz de fazer brotar um sorriso
e uma lágrima.
É um momento,
tão especial, quanto único.
Num momento saudade,
não pensamos nos defeitos,
nem nas virtudes.
Não se pensa no que rodeia,
nem no que se ganha ou se perde...
Ali é apenas o essencial e a essência.
Não existe mais nada nem ninguém...

Saudade...
É este momento mágico das nossas vidas...
Que o tempo não domina.
Nem a cabeça controla.
Apenas...
... se sente!

Uma braçada amiga

"porque Me bates?"

Pudesse eu abraçar o Mundo...
Pudesse eu calar esta voz dentro de mim...
Pudesse eu amar-Te eternamente...
Pudesse eu segredar-Te ao ouvido...
Pudesse eu ter a força de mil homens...
Pudesse eu ter a coragem de apenas um...
Pudesse eu acreditar de verdade...
Pudesse eu ter a força imensa para gritar ao 4 cantos...
Pudesse eu ter a humildade suficiente para Te olhar nos olhos...
Pudesse eu quebrar todas as barreiras...
Pudesse eu segurar forte a mão do meu Irmão...
Pudesse eu caminhar sem olhar para trás...
Pudesse eu entregar totalmente o meu ser...
Pudesse eu ter uma fé do tamanho de um grão de mostarda...
Pudesse eu ter gravado no meu coração, as marcas das Tuas chagas...
Pudesse eu ter sempre a certeza que me amparas em todas os momentos da minha vida...
Pudesse eu ter capacidade de perdoar...
E a tua Ressurreição seria uma realidade tão concreta e totalizante dentro de mim...


Uma braçada amiga

Incoerências...


Muita coisa se escreve sobre Jesus…
Muitas histórias se criam sobre a Sua vida…
Mas na verdade, como homem crente,
não me importa se Ele teve mulher ou não.
Não me interessam as milhares de mentiras que se escrevem.
Porque aquilo que de verdade me custa,
aquilo que de verdade me dói,
aquilo que de verdade me faz sentir pequeno e pobre,
é ver,
é ler,
é ouvir…
Que Ele ao ser pregado na cruz tem a capacidade de perdoar…
Isto é que me custa.

É isto que me prende e me sustenta.
Porque eu (nós) não consigo ter essa enorme capacidade.
Prefiro antes magoar, quem me magoa.
Prefiro antes não dar a outra face…
Orgulho?
Sim.
Errado?
Sim.
E é isto que me custa.

Porque cada vez mais percebo que aquilo que afasta o Mundo da Igreja…
De Deus…
Não é a nada mais nem nada menos que a incoerência dos fieis…
Porque afinal “podemos converter alguém pelo que somos e nunca pelo que dizemos”…
E se eu digo uma coisa e faço outra…
Não estou a ser discípulo d’Aquele que me amou sempre,
que me perdoou sempre,
mesmo quando O cravavam no madeiro…
E me mostrou que quando dizia que me amava, não era mera teoria...
Quando pedia para perdoar 7x70 o meu irmão, não eram palavras sem sentido...
Ele deu sempre o exemplo...
E eu?
Não falarei demais?
Será que não peço aos outros coisas que não sou capaz de fazer?
Que exemplo dou eu, que me afirmo CRISTÃO?
"louvam-Me com a boca mas os seus corações estão longes..."
E isto é que me custa…

Uma braçada amiga

Porque em todos há um espaço...


Olhares que se perdem.
Mãos que não se cruzam
Vidas que não se sentem
Sonhos que não se partilham.

Passos que não se acompanham.
Pensamentos que não se transmitem
Vozes que não se escutam
Sentimentos que não se oferecem.

Mágoa que se guarda.
Ferida que não se fecha.
Tempo que passa e que dói.
Sonhos que não se voltam a ter.
Uma braçada amiga

Contrários!

Existem Homens tristes
e tristes Homens...

Pessoas perdidas
e pessoas que se perdem...

Gente que foge
e gente que deseja fugir...

Pessoas que amam
e pessoas que fingem amar...

Homens de caracter
e Homens sem nenhum...

Gente feliz
e gente que sonha sê-lo...

Pessoas que querem sempre mais
e pessoas que o pouco lhes basta...

Homens que se privam
e Homens que são privados...

Gente que possui tudo
e gente sem nada...

Pessoas com sorriso no rosto
e pessoas com pedras na mão...

Gente que sofre
e gente sofrida...

Homens que se esquecem
e Homens que não vale a pena lembrar...

Pessoas que cativam
e Pessoas que repugnam...

Gente simples
e gente complexa...

Homens de sede
e Homens sedentários...

Uma braçada amiga

O mais genuino...

Como posso esconder?
Como posso calar?
Como posso negar?

Como posso?

Se...

São linhas sem fim,
são palavras sem significado,
são sonhos sem realidade,
são sentimentos sem conhecimento.

São vontades sem compreensão,
são sorrisos sem lágrimas,
são partilhas sem divisão,
são sentidos sem sentir.

São horas sem tempo,
são talentos sem percepção,
são dores sem mágoa,
são desejos sem decisão.

São medos sem razão,
são vidas sem verdade,
são caminhos sem esperança,
são ideias sem visão.

São presenças sem sinceridade,
são almas sem certeza,
são pessoas sem coerência,
são argumentos sem convicção.

Como posso...

Esquecer O mais genuino...

Uma braçada amiga

"A lua está longe e mesmo assim..."

Longe vão os tempos das gargalhadas.
Longe vão os tempos dos gestos de afecto.
Longe vão os tempos das partilhas
e das juras de amor…

Longe vão os tempos das “loucas” viagens.
Longe vão os tempos em que éramos donos do próprio tempo.
Longe vão os tempos em que nos perdíamos em momentos
e em pensamentos…

Hoje não restam loucuras,
não sobram desejos.
Hoje não existem sonhos,
não sobram projectos.

Hoje apenas fica esta certeza…
só quem vive e se entrega por completo,
pode olhar para trás e dizer…
“Valeu a pena!”

Uma braçada amiga

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Março 2008

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031