Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Amanhã


"Depois de muito ponderar, cheguei a uma conclusão muito interessante. Apesar de a população mundial estar a atingir os biliões de habitantes, com milhares de religiões, línguas, filosofias e culturas diferentes, existem apenas, na verdade, dois tipos de pessoas.
Aquelas que têm a certeza de que o mundo está irremediavelmente perdido e aquelas que acreditam que o melhor ainda está para vir.
(Por acaso, ainda há outro tipo de pessoas: aquelas que acreditam que a dança folclórica é a forma mais elevada de expressão criativa, mas eu não quero mesmo nada falar dessas pessoas!)
Não é preciso ser um génio para perceber que vivemos numa época muito perigosa e incerta; basta ligar a televisão ou pegar no jornal, ou apenas olhar pela janela.
(...)
Verás que, até nas circunstâncias mais terríveis, existe sempre beleza e esperança. Há sempre alguém disposto a ajudar quem precisa. Há sempre alguém com quem podes contar e há inúmeros momentos especiais que te poderão alegrar num instante - e que não custam mais do que alguns minutos livres que tenhas.
Para além disso, há sempre o amor e o romance.
Nada te vai fazer sentir melhor do que dançar tango com o amor da tua vida ou tomarem um romântico banho juntos. Embora possas não estar pensar nisso agora, poderás vir a partilhar com outra pessoa a sabedoria que adquires com as dificuldades e alegrias da tua vida; ao fazê-lo, deixarás o mundo melhor do que encontraste.
(...)
É muito mais sensato fazeres um sorriso corajoso e admitires que não és o centro do Universo. Ou seja, haverá sempre coisas que não sabes e que não conseguirás controlar. Por isso, quando o dia não te estiver a correr muito bem e as coisas se descontrolarem um pouco, como acaba sempre por acontecer, é muito mais produtivo e bem mais saudável descontraíres-te e desfrutares do absurdo do momento.
(...)
Por outras palavras, vale sempre a pena ter alguém para te apoiar... mas talvez não valha a pena contratares guarda-costas.
Outra razão para não temeres o dia de amanhã é que, embora não seja verdade que nós somos aquilo que comemos, é verdade que somos aquilo que amamos. Isto significa que a tua identidade se reflecte em todas as coisas de que gostas - nos teus amigos mais próximos, por exemplo.
Neste sentido, é justo dizer que o mundo à tua volta é um espelho. Assim sendo, tens muito mais controlo sobre o teu futuro do que pensas, pois podes dar ao teu mundo a forma que quiseres - basta seres aquilo que gostas de ser.
(...)
Porque, na verdade, é aquilo que nós realemente queremos e amamos que influencia o mundo à nossa volta, quer o admitamos ou não.
(...)
Faz uma coisa que nunca pensaste fazer - vive no momento presente.
Contudo, não te esqueças de que aquilo que para os outros é uma grande aventura pode ser, para ti, o teu pior pesadelo.
Por isso segue apenas o teu próprio caminho, para onde quer que ele te leve, um passo de cada vez. A viagem da tua vida não é uma corrida nem uma competição, nem é uma auto-estrada aborrecida e sem saídas, na qual estás condenado a vaguear para sempre.
(...)
Entretanto, sugiro que estejas sempre de cabeça erguida, que comeces a caminhar e que sigas o teu coração até aos confins do mundo. Ao fazeres esta viagem, lembra-te sempre de que cada dia é como um valioso presente. Se puderes, desfruta dele tal como é e aproveita-o ao máximo; então, acredites ou não, terás ainda outro presente extraordinário à tua espera:
o AMANHÃ! "
Bradley Trevor Greive
Uma braçada amiga

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Janeiro 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031