Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Um tesouro...


Hoje decidi abrir o meu pequeno tesouro, pensei em partilhar o que tenho lá guardado... Porém, não sou capaz e por isso, deixo que todos adormecam, ouso sair do calor dos lençois, para abrir esta pequena caixa de madeira...
O meu coração começa aumentar de intensidade, afinal ele sabe o que iremos encontrar dentro deste pedaço de madeira...
Abro com cuidado, levanto a tampo e começo a vislumbrar um conjunto de folhas soltas, algumas fotos misturadas, alguns cadernos, etc. Ao ver tudo isto, «para muitos isto é apenas lixo...», mas para mim, é muito mais. São pequenas parcelas da minha vida, aquelas que o tempo não apagou nem irá apagar, e ei-las ali... Em simples folhas de papel...
Ouso abrir cada uma com imenso cuidade, afinal é um pequeno tesouro que tenho ali. Leio, e como por mágia, começo a recordar aqueles momentos, viajo e até consigo voltar a sentir a mesma emoção com que escrevi a resposta àquela carta...
E ao reler aquelas cartas, reparo que tantas vezes disse que tinha saudades, que gostava de alguém,etc. Por momentos fui escritor e amante me tornei...
Continuo a leitura de cada folha, mas não consigo parar de ler, é que eu estou a gostar de voltar a reviver estes momentos. Neste momento, não me importa as horas, nem a que horas terei de acordar amanhã.
Esta noite decidi abrir o meu tesouro e ler o seu conteudo que é também um pouco do homem que sou hoje.
Neste momento o passado foi o agora, onde me reencontrei com a minha historia de vida para poder viver o meu presente e sonhar com o meu futuro de uma forma consciente e crescente.
Uma braçada amiga

Eu


Eu quero: ser FELIZ!
Eu tenho: muitas coisas...
Eu acho: que ainda faltam mais algumas coisas...
Eu odeio: aquele gajo, o MIKA! (Bem... não é odiar... é mais não gostar!)
Eu sinto: que estou vivo!
Eu escuto: quando alguém fala comigo!
Eu cheiro: bem, quando uso perfume!
Eu imploro: que o Benfica ganha todos os jogos!
Eu procuro: ser melhor a cada momento.
Eu arrependo-me: daquilo que não fiz ou não vivi.
Eu amo: a vida!
Eu sinto dor: quando me magoou!
Eu sinto a falta: de ter aqueles meses todos de férias, como tinha quando estudava!
Eu importo-me: com a imagem.
Eu sempre: achei que o pai natal existia... Mas descobri a dura realidade!
Eu não fico: rico!
Eu acredito: sempre em mim!
Eu danço: quando a música me “chama” «Embora pinguim abanar essas asas!»
Eu canto: quando me apetece!
Eu choro: quando me recordo momentos especiais.
Eu falho: quando não estou onde devia estar!
Eu luto: pelo que acredito
Eu escrevo: porque posso colocar no papel aquilo que sinto ou que imagino!
Eu ganho: pouco... Que tal um aumento?
Eu perco: quando não jogo no €uromilhoes
Eu confundo-me: quando dizem uma coisa e fazem outra!
Eu estou: sentado.
Eu fico feliz: quando os meus amigos estão felizes
Eu tenho esperança: que o Benfica ainda seja campeão!
Eu preciso: de €uros para ir até à Suíça, alguém quer dar uma ajudinha?
Eu deveria: jogar no €uromilhoes!
Eu sou: um “ganda” maluco!
Eu não gosto: da pessoas oportunistas!


Agora vou apontar as setas e escolher os meus alvos...

-> Rafeiro Perfumado
->Lua Amizade
->Conversa de loira
->Gabinete de tempos livres
-> Moon Light


Aqui estão os eleitos!

Uma braçada amiga

Um gesto simples...

Existem gestos simples que mudam para sempre a nossa vida.
Não, não me refiro a gestos vazios de sentido. Falo daqueles que nos "prendem" para toda a eternidade a um determinado momento. E que sabemos que aconteça, o que acontecer, nunca mais iremos esquecer.

Sim, falo daquele (a) ...
... abraço que une duas pessoas para sempre;
... beijo que sela duas bocas;
... mão que nos segurou no momento em que tudo à nossa volta estava a ruir;
... ombro amigo que nos amparou;
... sorriso espontâneo que nos sai;
... olhar cúmplice;
... etc.

Falo de gestos, feitos por pessoas com uma história, com defeitos e virtudes... Mas acima de tudo, são/foram pessoas que partilham/partilharam momentos felizes ou tristes da nossa existência.
Pessoas que se calhar, nos magoaram ou que se calhar as magoamos; Que se afastaram ou nos afastamos; que se esqueceram ou quisemos esquecer...
Mas na verdade, são estas pessoas de quem estou a falar, que num determinado momento foram cúmplices no nosso projecto de vida

Se algo nos está a magoar ou se fizemos que a magoou, porquê não a perdoar?
Porque não lhe ligar?
Porque não lhes dizer que gostamos dela (ou deles)? Ou até mesmo que os amamos?
Porquê não ousar?

Pensa bem... tens muito mais a ganhar!
Ousa... Depois diz-me se não valeu imensamente mais...

Uma braçada amiga

PS. "Que nada te detenha... Que nada te perturbe..."

Só uma perguntinha...

...porque será que os putos têm a mania, que os outros têm de ouvir as músicas que eles têm no telemóvel?

E quando é um pai que coloca house music a tocar no telemóvel e o coloca dentro do ovo onde vai o seu filho para ai com 2 meses, e lhe diz "Tens que te habituar..."

Uma braçada amiga

Um livro...



Muitas vezes perguntamos o que faz um livro ser famoso, e vender bem. Num mundo utópico, os melhores livros seriam os mais vendidos, e a qualidade seria o único factor que influenciaria os lugares cimeiros das tabelas de vendas. Muitas vezes, porém, são factores externos, desde tocar em assuntos polémicos, a publicidade agressiva, ou simplesmente devido ao facto de um livro anterior do mesmo autor ter sido best-seller.

Corria o ano de 2000, quando o Norte-americano Dan Brown, lançou o seu segundo livro, Anjos e Demónios. O seu principal protagonista, Robert Langdon um perito em simbologia, é acordado a meio da noite, para ir até ao CERN, o centro europeu de partículas, tentar decifrar um anagrama que apareceu no peito de um dos cientistas mais proeminentes deste instituto, Leonardo Vetra, que acabara de ser assassinado. O Anagrama que estava inscrito era, supostamente, um símbolo de uma antiga irmandade secreta, os Iluminati.

Horas depois, enquanto começava a investigar este homicídio com o auxílio da filha adoptiva do cientista assassinado, Vittoria Vetra, uma terrível revelação é feita. A experiência onde o cientista estava a trabalhar tinha sido roubada, e estaria agora colocada algures na cidade do Vaticano, onde seria tornada numa terrível bomba, que arrasaria toda esta cidade, e parte de Roma, tornando as explosões nucleares de Hiroshima e Nagasaki acontecimentos secundários na história.

Partindo de pistas, deixadas em corpos de Cardeais assassinados, Langdom, e a sua recente amiga Vittoria, circulam pela capital Italiana em busca de pistas para tentar impedir o assassino, membro de uma antiga irmandade de assassinos profissionais, os Hashasin, e descobrir a localização da experiência transformada em arma. Pistas estas que foram colocadas séculos antes por um escultor ligado aos Iluminati, na forma de esculturas, as mais famosas da cidade.


No pano de fundo de toda esta busca corre a eleição de um novo Papa, que só começou a despertar interesse, ao contrário do que se viu na realidade actual, quando ocorreu a ameaça terrorista, sendo os cardeais raptados e assassinados, alguns sendo favoritos para ocuparem o Trono de S. Pedro.

O livro tem uma leitura facílima, e um ritmo alucinante, em grande parte devido à maneira como está dividida a obra. Capítulos curtos, muitas vezes de três ou quatro páginas, com acontecimentos sempre em aberto, que obrigam o leitor a ler mais do que tinha programado. Tal tem como consequência fazer com que um livro de alguma dimensão seja consumido de forma voraz, sendo provavelmente este um dos motivos do seu sucesso.

No entanto grande parte do sucesso vem por culpa do Código de Da Vinci, segundo livro de Dan Brown onde aparece Robert Langdom, que apesar de ter sido editado originalmente em segundo lugar, atingiu o estrelato, muito por culpa de alegadas teorias da conspiração envolvendo a Igreja Católica.

Com o sucesso do segundo volume, o primeiro, Anjos e Demónios, alcançou também grande notoriedade, e casos como o português, em que o segundo livro foi publicado primeiro que o primeiro, são comuns.

O livro contém inúmeras imprecisões e erros no que toca a factos históricos, o que é aceitável visto tratar-se de um romance e não de um livro científico, mas o facto é que que lhe tem valido inúmeras critícas. Outro facto estranho no mínimo, é que, por vezes, mais parece um guião de um filme do que um livro propriamente dito.


Uma braçada amiga

SE EU FOSSE...

Missão: Destruir o blog LUAMIZADE3
Motivo: Desafio demasiado longo, o que irritou o Pinguim Imperial!

AVANÇARRRRRRRRRRRRRRRRRR!

"SE EU FOSSE..."

Se eu fosse uma hora do dia, seria as 00h.

Se eu fosse um astro, seria a Lua

Se eu fosse uma direcção, seria o norte!

Se eu fosse um móvel, seria um cadeirão.

Se eu fosse um liquido, seria Coca - Cola ( “Primeiro estranha-se depois entranha-se!”)

Se eu fosse um pecado, seria um dos mortais... Lolada

Se eu fosse uma pedra, seria a angular

Se eu fosse uma árvore, seria um Ulmeiro

Se eu fosse uma fruta, seria um morango

Se eu fosse uma flor, seria uma geribéria

Se eu fosse um clima, seria o tropical

Se eu fosse um instrumento musical, seria uma viola

Se eu fosse um elemento, seria o fogo

Se eu fosse uma cor, seria vermelho ou azul

Se eu fosse um animal, seria um Pinguim

Se eu fosse um som, seria um ré

Se eu fosse música, seria Iris

Se eu fosse estilo musical, seria instrumental

Se eu fosse um sentimento, seria alegria

Se eu fosse um livro, seria o principezinho

Se eu fosse uma comida, seria uma pizza

Se eu fosse um lugar, seria uma praia

Se eu fosse um gosto, seria um agradável.

Se eu fosse um cheiro, seria um suave

Se eu fosse uma palavra, seria um "foste"

Se eu fosse um verbo, seria o "Ir"

Se eu fosse um objecto, seria uma pedra

Se eu fosse peça de roupa, seria um chapéu de sol

Se eu fosse parte do corpo, seria o coração (Bate porque quer, e pára quando quer! E é este musculo que nos faz viver...)

Se eu fosse expressão facial, seria um sorriso

Se eu fosse personagem de desenho animado, seria o tio patinhas

Se eu fosse filme, seria "Cidade dos Anjos"

Se eu fosse forma, seria uma bola

Se eu fosse número, seria o 7

Se eu fosse estação, seria a primavera

Se eu fosse uma frase, seria “Cheguei ao fim!”

Vou apenas desafiar todos aqueles que queiram responder a este enorme questionário. E eu quando vi o título pensava que era uma música.. " se eu fosse um dia o teu olhar..."

Uma braçada amiga

p.s. Missão Cumprida!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Maio 2007

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031