Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

" Porquê ficar de braços cruzados quando o maior Homem do mundo morreu de braços abertos..."

Hoje irei partilhar um testemunho que dei, quando uns amigos meus me lançaram o desafio de falar numa N.O.C. ( Noite de Oração Comunitária) em S. Jorge de Arroios. Aqui fica a minha partilha.

Esta noite, é-nos lançado um enorme desafio... " Porquê ficar de braços cruzados quando o maior Homem do mundo morreu de braços abertos..."

Tantas vezes na minha vida, o medo, me fez ficar de braços cruzados, fazendo-me criticar e julgar todos aqueles que ousavam sonhar ou ir mais além.
Era o medo!
medo de ser feliz...
medo de arriscar...
medo de ser gozado...
medo de ser julgado...
medo de ser apontado...

O medo! Apenas o medo...
E era isso, que na verdade, não me fazia estar no Mundo, na Igreja, na sociedade, nos movimentos de verdade.
O medo fazia-me andar cheio das minhas verdades, fazia-me uma pessoa auto-suficiente.
O medo afastava-me do Amor!

Mas um dia, conheci alguém que me mostrou, que fui sonhado para ser águia e não galinha, ou se preferirem, se posso ser uma locomotiva para quê ser carruagem?

E foi a partir daí, que em todos os meus sonhos, todos os meus projectos, o medo deixou de existir. Passando apenas a existir a vontade e o desejo de servir, de amar, de me entregar. Não uma entrega banal, nem momentanea, não!
Como diz o poeta:

" Para ser grande, sê inteiro:
nada teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda Brilha, porque alta vive."

A minha vida deixou de ser um estado de inércia, de braços cruzados, de espectador.
Passei a querer ser o realizador e o protagonista do filme da minha vida. E foi assim que me lançei em vários projectos...

Simplesmente porque deixei de estar de braços cruzados. E tu?

Porque será que tanto temes em entregar-te por completo? Tens medo?

Não é verade que aquilo que todos queremos é ser felizes?

Tu acreditas de verdade nisso?
Tu acreditas que é este Senhor que hoje te segreda « Não tenhas medo...»?
Não é verdade que queres ser, acima de tudo, feliz?!

Então permite-me que te diga: ACORDA!
Porque o Mundo, a sociedade, a tua familia, o teu grupo, a tua paróquia, precisam do teu coração para amar e as tuas mãos para servir, com todo o teu coração, com todo o teu amor.

Porque Ele te ensinou, me ensinou, nos ensinou : «... que se Eu, que sou mestre, vos lavei os pés...»

Porque teimamos em estar de braços cruzados, comunidade de S. Jorge de Arroios?


Chegou a hora de mostrar ao Mundo que a Igreja está viva, que pulsa dentro de cada católico esta sede se amar, de servir, de se desinstalar.

TU PODES MUDAR...
TU PODES ESCOLHER...


Uma braçada amiga

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Abril 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930