Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Amigos Coloridos

Ora aqui está a resposta ao desafio lançado pela Lua Amizade, sobre amigos coloridos...

Bem, na verdade quando li o desafio lembrei-me de muitas situações de amigos coloridos... Mas só vos vou deixar com dois exemplos.

No 1º caso:

Bom, imaginem que vão sair com uns amigos, que bebem uns copos a mais...
De repente à vossa frente, aparece aquela rapariga...
Loira...
Gira...
Com uma mini-saia...
Com um decote sugestivo...
Uma deusa caída do Olímpio...
Avanças...
Estás determinado a conhecer aquela deusa...
Olhas para ela...
Ela olha para ti...
Vais aproximando-te mais e mais...
De repente, ficas face a face com ela...
Estás a suar...
Sentes um vulção dentro de ti a começar a entrar em erupção...
Decides avançar...
Estás a tremer...
Chegas por trás dela...
De repente...
Ela vira-se...
Puff!
FDX...
Tem barba...
Ficas azul, vermelho, amarelo... Em suma ficas colorido...
FDX...
É um gajo a brincar ao carnaval...

No 2º caso:

Estás com os teus amigos, numa esplanada, a comer caracóis e a beber "mines"...
Começam a falar sobre o tempo...
Sobre futebol...
Sobre carros...
Sobre a gaja que entra nos Morangos...
Sobre a Mónica Bellucci... (xiiii)
Sobre a Lili "Canecos"...
E de repente, um dos presentes diz: "FDX, essa gaja nem que me aparecesse toda pintadinha..."

Na verdade, queria deixar-vos com estas duas situações de amigos coloridos. Agora essa história de amigos... de sexo... de vez em quando... não estou a ver... ;)

Chegou a parte melhor de tudo isto...
Lançar a "bomba" aos outros...
E os bombistas escolhidos são:

- Ess'agora

- Farrapos de Nuvens

- Loira distraida

- Conversa de loira

E ainda...

- Rapaz sem nome

Uma braçada amiga

Hoje sinto-me assim... VAZIO

A minha vida é como uma vela:
* que iluminou quem estava a seu redor;
* que aqueceu aquele que tinha frio;
* que perfumou o espaço ou o lugar onde ardia;
* que deu o melhor de si, sem nada esperar em troca;
* e que no fim de tudo, não serve para mais nada;

Sim, hoje sinto-me assim... VAZIO!
Hoje apenas quero estar no meu canto, sossegado...
Hoje não quero nada, porque nada tenho para lhe dar.

Uma braçada amiga

O tempo gasto...


Certo dia, enquanto mexia no meu telemóvel, reparei no tempo de chamadas que já tinha atendido 355:46:17.
O que é o mesmo que dizer que estive qualquer coisa como 14,79 dias a falar sem desligar...
Continuei a ver o menu e eis que encontro o tempo das chamadas efectuadas... E reparo que também aqui eu já levo qualquer coisa como 146:07:33.
Isto significa que tive mais 6,08 dias a falar...

Se reparar bem, e se somar ambos (chamadas recebidas e chamadas efectuadas) eu já levo umas horas valentes, nada mais nada menos que 501:51:34.

Pois é, eu já passei mais de 501 horas a falar continuamente ao telemóvel, o que significa que passei 20,87 dias a falar...

E ando eu aqui preocupado em "ganhar" tempo para fazer outras coisas...

Agora já sei onde "gasto" muito tempo...

Uma braçada amiga

Uma dúvida...

Hoje, quando vejo televisão reparo que muita coisa mudou...

E uma das principais mudanças, foi o estatuto que o nosso burro adquiriu... Sim, ele mudou de estatuto... Deixou de ser aquele animal que servia para assustar os menos inteligentes...
Quantos não ouviram aquela expressão "És mesmo burro..." ou então "Vou-te arranjar umas orelhas como as de um burro..."

Porém isto hoje é diferente...

O nosso animal é sinal de sucesso...
Ele é publicidade da OniDuo, ele é publicidade do BES...
Estou fascinado com o seu processo de evolução... Ou talvez não...

Agora aquilo que me preocupa, é se a sua entrada na publicidade é sinal de evolução ou se têm alguma mensagem escondida...

O que te parece?

Uma braçada amiga

Na busca do meu EU...


Vagueio pela noite, em busca do que eu perdi...
Na verdade, busco a minha vida, a minha felicidade...
Na verdade, é assim que tenho estado nestes últimos tempos... Sozinho e na busca de algo...
Todos se preocupam...
Todos me perguntam...
Mas aquilo que sente este coração, eles nunca saberão, porque não lhes consigo fazer perceber este sentimento, ou melhor, a mistura de todos eles....
Uns, apelam ao meu mais íntimo...
Outros, apelam à minha decisão...
Outros, falam-me como se tudo fosse fácil...
Será, que nenhum deles ainda percebeu, que se não me decidi, é porque ainda não o consegui fazer...
Será, que nenhum deles percebeu, que se não parti é porque ainda existe algo que me prende...
Será, que nenhum deles ainda percebeu, que apenas preciso de um ouvinte e não de um conselheiro?
Que no fundo, preciso mais de um amigo que seja meu cúmplice, do que de um apoiante...
Será que nenhum deles ainda percebeu isso?...

O vento toca o meu rosto, a chuva mistura-se com as minhas lágrimas...
Caminho nesta noite, na busca de quem se perdeu...
Na busca de quem apenas quer ser feliz...
Na busca de quem deixou fugir um sonho... Ou mesmo o seu projecto pessoal de vida...

Esta noite, só Tu me consegues alcançar e caminhas comigo, enquanto o Mundo dorme.
Vagueamos como se fossemos os sentinelas da noite...
Esta noite apenas resta o eu e o Tu!
Esta noite apenas Tu me acompanhas na busca do meu EU!...

Uma braçada amiga

Neste banco de jardim...

Neste banco de jardim, olho as pessoas que passam, umas que sorriem, outras que falam, umas estão com uma cara apreensiva, outras vão pensativas...
Neste banco de jardim, olho as pessoas e tento imaginar as suas profissões... Uns serão doutores, outros serão advogados, outros serão estudantes, outros serão funcionários públicos... Será a tanta a variedade e maior ainda a possibilidade de estar errado sobre eles...
Vejo pessoas diferentes e no fundo todas iguais...
Penso na maravilha da criação, quando duas células se fundem e dão origem a um ser único na sua impressão digital, na sua personalidade, no seu ADN, na forma do seu rosto, na forma como se move, na forma como lida com os outros e como enfrenta os mesmos problemas...
Neste banco de jardim, olho cada individuo e as suas caracteristicas fisicas. São rostos que se cruzam comigo, mas que nunca saberei quem são...



Uma braçada amiga

Do mais profundo de mim...

Se existe um slogan que sempre me causou algum espanto, é sem dúvida, «Um sorriso vale mais de mil palavras», nunca entendi muito bem esta frase.
Até hoje...
Quando te olho, nesse teu jeito de homem pequeno, que percorre a casa toda, tentando agarrar e brincar com tudo o que seja diferente...
Em cada espaço espalhas a tua alegria.
Admiro a capacidade que tens, quando passas do choro à gargalhada, é como se o sorriso fosse mais forte que tudo... Admiro!
Admiro, a forma simples com que ofereces esse teu sorriso a quem se cruza contigo... Admiro!
Admiro, como a única coisa que esperas em troca é um simples sorriso... Admiro!
Admiro, esse teu jeito único de rir, capaz de me fazer ficar, quando tudo à minha volta me diz para partir... Admiro!
No fundo admiro-te porque desse pequeno Mundo, és capaz de me dar a única coisa que em tantos momentos é a minha âncora e o meu porto de abrigo.
Pois basta-me aquele sorriso simples, aquele olhar meigo, aquele abraço apertado, para que tudo à minha volta seja esquecido.
Obrigado «piratinha»!


Uma braçada amiga!

Deixa a tua marca...


Na minha vida nem sempre procurei o que era melhor para mim.
Perdi-me por entre as pessoas, vagueei na solidão, revoltei-me contra o mundo, calei as vozes que me amavam, neguei a mão amiga que me queria ajudar...
Porém um dia, encontrei-Te, estavas só, escondido, no canto daquela Igreja...
Fui entrando devagar, para que ninguém me visse. Sentei-me e como por magia deixei-me envolver no Teu abraço e sem desejar as lágrimas correram pelo meu rosto.
Por momentos fiz o filme da minha vida, vi tudo o que tinha feito, ouvi tudo o quetnha dito, e perguntei-me "Que marcas tenho eu deixado?"
Porém, eu pensava que ia encontrar-Te na correria, na gritaria, na frieza e na dureza do mundo...
Como eu estava enganado...
No Teu silêncio percebi a imensidão do Teu amor, e que esperavas por mim há muito tempo.
Sai dali com a certeza que queria amar o mundo, mas não lhe queria oferecer um amor qualquer.
Não! Queria amar ao Teu jeito. Queria que todos sentissem que os amava porque Tu és o centro da minha vida.
E foi com este Amor que escolhi deixar verdadeiras marcas na minha vida e naqueles que me rodeavam.
Tenho a noção que são marcas ousadas mas tenho confiança, pois no peito arde o fogo daquele encontro...
Ao longo deste tempo, sofri muito, chorei imenso, caminhei sozinho, ouvi coisas que eram injustas, mas sempre confiei na marca que queria deixar. A marca do Amor deste meu Deus, que fez de uma cruz o Seu trono, que «ofereceu» o Seu peito à lança por paixão, que carrega nas Suas mãos e nos Seus pés a marca de uma entrega total a este projecto chamado Amor!

E tu?
Que marcas tens tu deixado?
A marca do Amor ou da critica?
A marca da honestidade ou da inveja?
A marca da entrega ou do medo?
A marca da disponibilidade ou do «não tenho tempo»?
A marca da humildade ou do orgulho?

Que marca queres tu deixar?

Não me respondas...
Pára e pensa...

Ousa ser diferente. Ousa deixar no mundo a marca deste Amor.

Uma braçada amiga

p.s. Este texto foi escrito a pedido de uns amigos para o Jornal "Raízes" da Paróquia de S.Jorge de Arroios. Queria desta forma agradecer-lhes o voto de confiança. Obrigado

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Fevereiro 2007

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728