Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ainda não acabei

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

"Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos." August Cury

Amigos...


A amizade é um amor que nunca morre.
A amizade é uma virtude que muitos sabem que existe, alguns descobrem, mas poucos reconhecem.
A amizade quando é sincera o esquecimento é impossível
A confiança, tal como a arte, não deriva de termos resposta para tudo, mas, de estarmos abertos a todas as perguntas.
A dor alimenta a coragem.
Tu não podes ser corajoso se só te aconteceram coisas maravilhosas.
A esperança é um empréstimo pedido à felicidade.
A felicidade não é um prémio, é sim uma consequência,
a solidão não é um castigo, é sim um resultado.
A felicidade não está no fim da jornada, mas sim em cada curva do caminho que percorremos para encontrá-la.
A gente tropeça sempre nas pedras pequenas, porque as grandes conseguimos logo vê-las.
A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delícia da companhia.
É a inspiração espiritual que vêm quando tu descobres que alguém acredita e confia em ti.
A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos.
A inteligência é o farol que nos guia, mas é a vontade que nos faz caminhar.
A maior fraqueza de uma pessoa, é trocar aquilo que ela mais deseja na vida, por aquilo que ele deseja no momento.
A persistência é o caminho do êxito.
A pior solidão é aquela que se sente na companhia de outros.
A SOLIDÃO É UMA GOTA NO OCEANO QUE SÓ OLHA PARA SI MESMA...
UMA GOTA QUE NÃO SABE O QUE É O OCEANO...
Amigos são a outra parte do oceano que a gota procura...
A tua única obrigação durante toda a tua existência é seres verdadeiro para contigo próprio.
A verdadeira amizade deixa marcas positivas que o tempo jamais poderá apagar.
A verdadeira amizade é aquela que não pede nada em troca, a não ser a própria amiga.
A verdadeira generosidade é fazer alguma coisa de bom por alguémque nunca vai descobrir.
A verdadeira liberdade é poder tudo sobre si.
Algumas pessoas acham-se cultas porque comparam sua ignorância com as dos outros.
Amigo de verdade é aquele que transforma um pequeno momento em um grande instante. Amigo é a luz que não deixa a vida escurecer.
Amigo é aquele que conhece todos os teus segredos e mesmo assim gosta de ti!
Amigo é aquele que nos faz sentir melhor e sobre tudo nos faz sentir amados...
Amigo é aquele que nos faz lança para a meta e que percorre connosco o caminho.
Amigos são como flores cada um tem o seu encanto, por isso, cultive-os.
Amizade é como música: duas cordas afinadas no mesmo tom, vibram juntas...
Amizade, palavra que designa vários sentimentos, que não pode ser trocada por meras coisas materiais...
Deve ser guardada e conservada no coração!!!
As pessoas entram nas nossas vidas por acaso, mas não é por acaso que nelas permanecem. Celebrar a vida é somar amigos, experiências e conquistas,
dando-lhes sempre algum significado.
Diante de um obstáculo não cruzes os braços, pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos.
Elogie os amigos em público, critique em particular.
Errar é humano, perdoar é divino.
Evitar a felicidade com medo que ela acabe; é o melhor meio de ser infeliz.
Faz amizade com a bondade das pessoas, nunca com seus bens!
Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está a passar inutilmente.

(Érico Veríssimo)

Hoje, decidi escrever este post a todos os meus amigos, porque eles são muito importantes para mim, mesmo que não tenha tido a coragem para lhes dizer isso. E como diz o poema, quero elogia-los em público. Quero dizer-lhes que os amo, que a minha vida seria uma tristeza sem eles, que mesmo que muitas vezes eu não esteja presente físicamente, eu nunca me esqueço de vocês (só das datas do aniversário, mas é um mal que me acompanha...). Quero que fique aqui escrito, que também estão íncluidos os meus 4 irmãos... (2 de sangue e 2 de amor). Mesmo que muitas vezes possamos não ter os mesmos pontos de vista ou as mesmas opiniões... Mesmo assim, é a vossa diferença que me ajuda a crescer e a ser uma pessoa melhor.

Por tudo isso, queria-vos dizer MUITO OBRIGADO!

Meus queridos amigos, desejo-vos tudo de bom no ano 2007.

Uma braçada amiga

Este lume que arde...



Faz frio esta noite, aproveito e acendo a minha lareira...

Inicia-se com uma pequena chama, que aos poucos começa a consumir a pinha e os pequenos ramos, até que se torna numa enorme chama e começa abraçar os troncos maiores...

Aos poucos a minha pequena chama já produz uma enorme luz e um agradável calor... Começo a ouvir aqueles estalitos da madeira, que aos poucos vai sendo consumida pela chama...

Faz frio esta noite, mas esta lareira produz luz e calor capazes deme prender aqui... Olho para aquela chma que parece ter vontade própria e um desejo especial em consumir tudo o que se coloca no seu caminho, neste caso, aqueles troncos, e ela vai conseguir, demore o tempo que demorar...

Passa 1,2,3 horas e a minha lareira, agora é um simples monte de brasas. Afasto uma brasa do todo e aos poucos, esta vai-se apagando... Mas se a junto de novo às outras, volta a reacender-se e a produzir calor... E ao ver esta brasa, penso: "Eis o verdadeiro significado do lema «A união faz a força», pois aquelas brasas juntas conseguem manter-se acesas e produzir calor, mas afastadas apagam-se...

Quantas vezes...

Quantas vezes, me afastei eu?!?....

Quantas vezes por orgulho, decidi ser uma brasa sozinha?!?...

Quantas vezes, sabia que o caminho era com os outros e me afastei, por não ser feito do meu jeito?!?...

Quantas vezes, fui eu uma acendalha?!?...

Quantas vezes, fui um simples tronco consumido lentamente por esta chama e depois me tornei numa brasa!?!?...

Quantas vezes..."

Uma braçada amiga

Hoje eu vou ficar por aqui...


Hoje eu vou ficar por aqui
Não esperes por mim
Eu já te dei mais do que eu sei
Eu já fui, já andei
Não esperes por mim
E tudo o que eu queria
Um tempo para mim
Sabes bem que é inútil mudar
Que o tempo faz parte de mim


Hoje vou ficar
Hoje quero ir
Ao fim desse olhar
Só para te sentir


Hoje parei e pensei outra vez
Não esperes por mim
Eu já mudei mais do que eu sei
Eu já fui
Já andei, não esperes por mim
E tudo que eu queria um tempo para mim


André Sardet

Uma braçada amiga

O Mundo através da minha janela...


Esta manhã olhei o Mundo através da janela do meu quarto, o sol brilha lá no alto, o céu está limpo. Parece um lindo dia de Verão.

Mas não é!... É dia 26 de Dezembro.

Olho para as pessoas e vejo-as agasalhadas, faz tanto frio lá fora... E aqui dentro do meu quarto sinto-me tão quentinho...

Ao olhar o Mundo através desta janela, vejo pais que agarram os seus filhos como sendo o seu maior tesouro; Vejo pessoas que correm para o autocarro, como se fosse a sua última oportunidade; Vejo gente que sorri e diz "Bom dia!", sendo essa a sua melhor prenda; Vejo casais que se seguram mutuamente como se fossem um único ser; Vejo rostos alegres e tristes, rostos vermelhos e outros completamente tapados; Vejo tanta gente diferente e no fundo tão iguais...

Ao olhar o Mundo através da minha janela, penso naquelas frases que tantas vezes são repetidas em certas ocasiões:

- "Todos diferentes, todos iguais..."

- "Os opostos atraem-se..."

- " São as nossas diferenças que nos unem..."

- " Se fossemos todos iguais, a vida seria uma monotonia..."

E muitos mais...

De facto, são enormes as diferenças entre cada um que vejo da minha janela, mas na verdade todos eles são semelhantes na sua essência.

Porque o Mundo que eu vejo através da minha janela é diferente do Mundo que tu vês da tua janela, mas o Mundo é o mesmo...

Uma braçada amiga

É tempo...



Hoje, parei e percebi que existem pessoas continuam a correr para comprar prendinhas, que continuam a correr sem saber para onde vão...
Que continuam a correr arrastados pela multidão...
E pergunto-me porquê?
Para quê correr? Se Aquele que vai nascer nos pede para PARAR...
Para quê correr? Se o Menino apenas quer que o CONTEMPLES...
Para quê correr?
Tenho pena que as ruas ficam belas todas iluminas, que o nosso País tenha a maior árvore de natal da Europa... mas que os nossos corações continuem às escuras... que os nossos corações não estejam a viver o verdadeiro espírito de natal... tenho pena, que tudo seja mais importante do que o Menino que vai nascer em Belém...
É tempo de mudar.
É tempo de acreditar.
É tempo de sonhar.
É tempo de amar verdadeiramente.
Não é tempo das prendas materialistas.
Não é tempo das grandes consoadas.
Não é tempo correr.
É tempo de parar.
É tempo de ouvir.
É tempo de olhar para o Menino...
É tempo... de tu e eu mudarmos de verdade.
Uma braçada amiga
p.s. Um Santo natal para todos.

Cada palavra é uma semente...


Como vivemos dias em que cada vez menos se usa e abusa do vocabulário, em que cada dia se inventa uma nova palavra, fica aqui um conselho do pinguim para leitura neste Natal.

O livro é escrito por Susanna Tamaro, é uma viagem espiritual, embaladora, que nos confronta e nos inspira através do realismo e da sensibilidade da prosa envolvente a que a autora já nos habitou.

Para os mais desatentos, Susanna Tamaro é autora de inúmeros bestsellers, como Vai aonde Te leva o coração, A Alma do Mundo, Responde-me e Um País para Lá do Azul do Céu.

Hoje vou transcrever um pouco de um texto que poderás encontrar neste livro.

"Enterrados no lixo do palavreado mediático, já perdemos a percepção da palavra. Um rio de ruído vazio atravessa os nossos dias e escorre por nós, deixando-nos cada vez mais sujos. Em muitos lados, ergue-se o canto das carpideiras: «A poesia tem os dias contados»... « A narrativa está morta e apodrece»... «O ser humano está demasiado avançado para se entreter com esses contos da sua história evolutiva»... «Se tudo já foi dito porque haveria de se repetir?»

A ausência de silêncio e o palavreado constante fizeram-nos esquecer o poder e o mistério que se escondem na profundidade da palavra. Não da palavra-casca, da palavra-sussuro, mas da palavra-eco de outra Palavra. Nessa Palavra, não há repetição, cansaço, mas a constante renovação de uma nova compreensão. Assumir para si a palavra-eco é muito diferente do que ser-se criativo e usufruir da nossa fantasia. É pôr às costas uma mochila cheia de pedras, beber todos os dias um pouco de veneno e gastar sem piedade o nosso corpo e o nosso espírito. É imergir no mal, na devastação, mergulhar nas trevas do coração, não por se sentir prazer, como quereriam os cínicos, com as próprias trevas, mas para procurar o ponto, o local, o momento em que uma réstia de luz pode nascer da mais funda escuridão.

Diante de cada folha branca, não sinto a excitação alegre que se supõe pertencer à criatividade, mas o medo de Jonas que, em vez de ir a Ninive, embarcou para Tarsis, ou o temos de Jeremias quando diz «Eu não sei falar: sou muito novo.»

Em tempos tão dramaticamente confusos, não se podem atirar as palavras ao ar como se fossem coentros, nem sacudi-las para onde calha, como se sacodem as migalhas da toalha. Cada palavra é uma semente e o terreno onde medra é o coração do homem.

Tal como as sementes, as palavras podem germinar de imediato, ou esperar anos em estado de dormência. Podem gerar flores e frutos, que proporcionam beleza e alimento, ou ervas daninhas, que cegam e sufocam quem as deixou crescer.

Há as palavras-instigação e as palavras-reflexão, palavras que explodem em raiva, em ressentimento e outras que pelo contrário, são capazes de conter qualquer tipo de explosão. A dispersão das palavras-sementes é anemófila, propaga-se com o vento, a brisa transporta-as, uma rajada de vento arranca-as, ninguém pode prever quando pousarão na terra, nem em que lugar irão cair. É também por isso que a escrita gasta, porque é um peso e, hoje mais do que nunca, uma responsabilidade.

Se há uma semente que a escrita deve propagar, não é a do repouso, de uma planta que dá sombra e abrigo, mas a da inquietação, invisível e pungente. Os campos e os bosques estão cheios de pequenas sementes espinhosas que se agarram a tudo, às orelhas dos cães, às nossas peúgas, introduzem-se sorrateiramente nas pregas das calças e da pele, obrigando-nos a mexer, a sacudir-nos, a despir-nos.

A semente da inquietação fere-nos o coração e obriga-nos a caminhar."

Bem sei, que é um pouco longo, mas creio que a sua beleza é maior ainda...

Uma braçada amiga

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades


Se existe uma coisa que sempre me ensinaram ou que sempre apreendi, é que certas "coisas" que foram boas em tempos, podem não ser boas neste momento.
E que para se chegar ao mesmo ponto (meta), existem muitos caminhos, e que todos eles são válidos, para lá chegar.

Porém existem quem se agarre a um passado, a um caminho, a uma postura, a uma ideia. E não consegue olhar para as "coisas" com outros olhos. Pois vivem agarrados ao slogan do «sempre foi assim...».

Penso que olhar para o passado é produtivo, se o nosso presente for diferente.

Penso que olhar para o passado é um apoio, se o nosso presente tiver uma vontade de melhorar.

Penso que olhar para o passado terá um gosto de saudade, se não estivermos dispostos a caminhar no presente.

Penso que olhar para o passado será motivo de orgulho, se o nosso presente for pautado pelo que aprendemos.

Por isso, o nosso presente, é fruto das escolhas do nosso passado. Mas também devemos ter consciência que mudam-se os tempos, logo mudam-se as vontades. Porque aquilo que gostavamos em crianças, já não achamos piada em adolescentes. E aquilo que nós acreditávamos em adolescentes, já não será o mesmo que iremos acreditar em adultos...
Então para que continuar com as mesmas vontades se mudaram os tempos??
« O caminho é individual mas não solitário.»
Deixo aqui um poema, que apesar de muito anos, está tão actual que até chateia... (lolada)


Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís de Camões

Uma braçada amiga

A Força da Palavra


A Força da Palavra!!


A palavra tem uma força brutal...contém uma energia, sobrenatural...

Tanto agride e fere, como consola na hora certa...

Mal usada desencaminha e destrói.

Bem aplicada, orienta e reconstrói...

Precipitada, magoa e ofende reflectida, é escudo que defende...

Pode muito mais do que se imagina,

Deprime, mas acaba com a rotina;

Desfaz crenças e desperta a Fé;

Desencaminha e também orienta;

Liberta, aprisiona, apascenta...

Propala engodo, mostra verdade...

Expressa ódio, indiferença, calor.

Libertando a energia nela contida podemos modificar a nossa vida,

Externando positivamente de forma clara e consistente que queremos, podemos e devemos Viver em Paz e com Amor!

Crendo, realizar-se-á,

Pela força que na Palavra há!




(Autor: Lauro Kisielewicz)

Uma braçada amiga

Lua...

Esta noite, olhei para o céu e vi-te... Lá bem por cima de mim, a iluminares a minha noite, um brilho tão belo e perfeito como se fosse teu, mas sei que esse brilho advém do astro que ilumina de dia a minha vida.

Reflectes a sua luz como se fosses um espelho.

Reflexo que tantas vezes queria ser na vida dos outros, reflexo que gostava que os outros sentissem... O reflexo do Amor; o reflexo da paz; o reflexo da compreensão; o reflexo da confiança; o reflexo da serenidade; muito mais gostava de reflectir... Mas muitas vezes não consigo porque tudo coloco à frente para tapar esse reflexo, porquê?

Porque tenho medo que mundo ache uma loucura...
Porque tenho medo que as pessoas usem e abusem...
Porque tenho medo...
Sim, eu sei que é através desse reflexo que sou mais feliz.
Eu sei, que é estando dessa forma na vida, que ela tem sentido para mim.
Eu sei, lua, mas continuo mais preocupado naquilo que os outros pensam, do que naquilo que esse reflexo pode trazer à minha vida...

Sou louco?!! Um pouco...

Gostava de conseguir ser como tu...

Ser capaz de unir em fez de desunir...

Ser capaz de fazer sonhar em fez de destruir ou criticar esse sonho...

Ser capaz de fazer alguém sentir-se preenchido, sentir-se fascinado, em vez de afastá-los...

Ser capaz de usar esse teu perfume de acolhimento,em vez de usar este com cheiro a repelente que a todos afasta...

Bem sei que aquilo que a minha lua reflecte é bem diferente daquilo que tu reflectes...

Um dia, lua, quando ousar ser como tu, reflectir o brilho do astro maior, serei verdadeiramente feliz, aliás se todos nós deixarmos de ser luas novas e passarmos a ser luas cheias, as nossas vidas serão melhores, porque a Luz que brilha no centro delas, é uma Luz que nunca se apaga, que nunca diminiu de intensidade.

Um dia lua... Todos nós seremos Homens-novos!

Um dia...

Uma braçada amiga.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Calendário

Dezembro 2006

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31